quarta-feira, 18 de maio de 2011

Sol de inverno.

Está começando a fazer frio, e nada nesse ano lembra Mily do passado. Tem feito tudo na maior dedicação que pode: estuda, organiza suas coisas e se esforça para fazer parte da vida dos amigos. Não sobra tempo livre para sua mente vagar por ai. A não ser no banho, sim, porque quando a água do chão quente demais contrasta com a temperatura do dedo dos pés e o cabelo começa a cair no rosto ela não se importa de não enxergar mais. Quer esquecer de esquecer, reviver os minutos e os segundos. Todos os banhos que tomava para se arrumar e os que cantava para estravasar toda a felicidade que sentia.
Na cama, a mente não vagava para o lado negativo. Como se o travesseiro a lembra-se ela sonhava com um amanhã de amores, quando esse outono passar e o inverno finalmente acabar. Quem sabe não seja das flores que ela sente falta, ou do biquíni. Essas roupas que a deixam parecendo boneco de neve não andam ajudando. Mily tenta. Ah se tenta. Se recusa a pensar no que vai fazer amanhã. Faz tudo hoje, pra viver sem medo todos os medos e tentar concertar os defeitos. É a nova ela. A terceira que ela tentou, sempre há aquelas três fazes que ela não sabe pular.
Primeiro ela não acreditava no fim, e sim num recomeço; ia provar que podia e que merecia. Mas ao mesmo tempo tão triste, e sem força não queria mais ver dois palmos a sua frente que não fossem a solução. A segunda, a pior - e ainda bem a mais curta - durou algumas semanas. Pensava que era o jeito de fazer as coisas se concertarem, fez vários amigos - que com certeza não irá deixar para trás na terceira - e se divertia sem um pingo de razão. Nada, nem tomava cuidado ao andar: que o mundo me traga o que me é de direito. Mily sabia que era errado, e acordou. Com um empurrão forte demais que doeu, mas acordou. Tem feito tudo na maior dedicação que pode: estuda, organiza suas coisas e se esforça para fazer parte da vida dos amigos. Não sobra tempo livre para sua mente vagar por ai. Se vagar, ela tem medo de voltar ao primeiro e o ciclo vai recomeçar.
Ela tem feito um ótimo trabalho. E melhora a cada dia, mesmo nos piores, ela fica um pouco mais forte. Músicas no CD que a lembram do passado a fazem sorrir e não mais triste, porque sem medo de que o mundo lhe tenha prometido ela vive. Ah como tem vivido. Como uma nova ela, melhor, com experiências. Crescida.
Hoje está fazendo sol e Mily está com somente uma blusa de lã além de da de manga-cumprida. Nada de boneco de neve, e o cabelo preso em um coque. Quem sabe não seja um aviso. Mily adora quando as coisas parecem lhe avisar. Intuição, mas quem sabe não dê tudo certo.

Finalmente satisfeita com a foto - que é a única coisa que eu fico 100% feliz, porque de resto é sempre imperfeito-. E estou começando a escrever algo novo, mais para uma história que apenas um texto. Quem sabe eu não poste aqui ele! Finalmente a escola deu um tempinho pra gente respirar, mas tudo acaba na quarta-feira. Não gosto de fins. Boa semana para todos!

4 comentários:

Simone Martins2 disse...

Boa noite, gosto de ler-te, então poste sempre para que eu tenha o que ler ok? Bjin

Amanda Romero disse...

Oi =) pra quem não lembra eu sou a Amanda Romero do Keep Breathing e estou reabrindo o blog. Fiquei um tempo sem escrever por falta de tempo, mas quem escreve sabe que quando não se coloca essas palavras pra fora a mente vira um furacão.
Tem post novo (http://amanda-romero.blogspot.com/2011/06/o-problema-voce-nasce.html)
e se gostar da uma olhadinha no resto do blog =) http://amanda-romero.blogspot.com/

Obrigada.


/Ah, essas fases... Não sei o que dizer. É meio desesperadora a minha. Ansiosa demais, apressada demais. Gostaria de aproveitar mais o tempo e parar de pensar no que vou fazer amanhã. Mas definitivamente não sirvo pra isso. Quero que o tempo passe logo e que as horas se encurtem e ao mesmo tempo quero que os dias se alonguem pra fazer mais coisas. Complicada essa vida...
Inteligente essa Milly.

Amanda Romero disse...

Mily*

=)

Raíssa Santos disse...

Sempre tem os medos pensando que mandam na gente. Mas uma hora ou outra a gente vence. :)
Bjs